Sociologia com desastres: Exceção em tempos de crise

Pedro Araujo

Resumo


A partir da análise sociológica do colapso da Ponte Hintze Ribeiro, neste atrigo proponho-me, por um lado, identificar e caracterizar a prática de governação de um território e de uma população afetados por um acontecimento extraordinário e, por outro, identificar e caracterizar os fatores suscetíveis de influenciar os contornos e orientações dessa prática. Relativamente a estes últimos, irei argumentar que, no ato de gerir uma crise política originada por um desastre, os atores governamentais e institucionais nunca se revelam imunes às palavras e às imagens do desastre veiculadas pela comunicação social, ou seja, às emoções e aos valores que se desprendem do desastre. Qualquer desastre, natural ou tecnológico, deixa de si uma memória e são essas memórias que são necessárias analisar.


Palavras-chave


Estado; Desastres; Crises políticas; Práticas de governação

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)