Violência Estrutural e Capitalismo: Particularidades da Sociedade

Maria Nelci Torres Soares, Monique Soares Vieira, Renata Gomes da Costa

Resumo


O artigo apresenta um estudo exploratório de cunho bibliográfico acerca da violência estrutural e suas particularidades na sociedade capitalista brasileira. O objetivo central é realizar uma reflexão sobre como essa expressão da violência vem se configurando diante as mediações que perpassam o capitalismo no Brasil. Traz ainda as seguintes provocações: Como o Estado contribui para a naturalização da violência estrutural? Como essa violência interfere no acesso aos direitos sociais? Quais são as suas principais expressões na cena contemporânea brasileira? Discute-se, sobre a complexificação da violência estrutural diante do atual estágio capitalista e, das persistentes investidas conservadoras que perpassam a construção das respostas da burguesia e do próprio Estado no seu enfrentamento. Ainda que a violência, em suas bases fundantes, não seja um fenômeno advindo do capitalismo, encontra neste, solo fértil para sua reprodução, tendo na violência estrutural uma expressão produzida a partir das condições inerentes a esse modo de produção.

 

Palavras Chave: Violência Estrutural, Sociedade Burguesa, Estado, Direitos Sociais.


Palavras-chave


Violência Estrutural; Capitalismo; Sociedade Brasileira

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)